Era para ser perfeito? Era. Mas não foi. E não há pecado algum nisso.

Desencanei. Para quem me pergunta o que porque das coisas, eu simplesmente explico assim. Perdi o encanto, a graça passou, nosso tempo não volta mais; ou, se preferir, prefiro seguir a vida sem você. Explicações demais só iriam matar nossos bons sentimentos ainda guardados na nossa caixinha das boas lembranças, boas viagens, boas noites e incríveis sábados à noite de sofá. Não fica insistindo tanto nesses “porquês”, quanta coisa na vida simplesmente não tem explicação? Era para ser perfeito? Era. Mas não foi. E não há pecado algum nisso. Pecado seria eu estar contigo  pensando em outro cara. Falar contigo imaginando outro sorriso sentado na minha frente. Apertar tua mão imaginando ser uma diferente.

Desculpa se a nossa história não teve dom para virar melodia de amor. Mas saiba que para mim, mesmo tendo sido curta, ela me fez enxergar uma constelação de estrelas que ainda não haviam sido descobertas. Você me ensinou o ponto certo da cerveja gelada, me fez gostar de ouvir house quando eu preferia sertanejo e me fez (finalmente) entender o que é um impedimento em uma partida de futebol. E tem mais: eu achava lindo quando você ficava bravo por ciúmes e quando me defendia mesmo quando sabia que eu estava errada. Você foi um grande amor sim. Na hora certa. Apenas com data de começo, meio e fim.

No meu castelinho de ilusões e na minha praia cheia de coqueiros eu continuo imaginando o meu final feliz. Final não, porque eu espero que a minha felicidade não tenha fim. Se ela tiver que vir carrega por um príncipe, que venha. Se tiver que vir carregada de algumas experiências, que venha também. Na areia da nossa praia eu prometo deixar as minhas pegadas bem juntinhas das tuas. Prometo guardar para sempre as lembranças do vento bagunçando teu cabelo e do teu pé descalço tentando calçar as havaianas. E se um dia, eu tiver que desencanar de ti, eu prometo, por fim, guardar dentro do meu coração todas as nossas lembranças, porque elas jamais deixarão de valer a pena. Pode acreditar.

blog vittamina suh riediger textos texto sobre relacionamento texto sobre fim de namoro

Anúncios

Um pensamento sobre “Era para ser perfeito? Era. Mas não foi. E não há pecado algum nisso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s