Um dia me disseram que ser mãe valia a pena…

Mas nunca me disseram tudo que eu passaria até chegar nesse ponto. E eu, sem noção alguma de maternidade, sequer pude imaginar todas as penas que eu teria que despenar até entender o que é o verdadeiro amor. Porque amor de verdade a gente precisa entender, ele não é feito de teorias, cálculos ou razões, o amor de verdade a gente simplesmente não sente, a gente vive. E pra viver, a gente precisa estar junto! Ah, e a união… não tem nada que pague as mãos dadas, o boa noite todo dia, o café da manhã com olhos inchados e os momentos que a gente para e pensa: será que isso é verdade mesmo?

Eu até tentei imaginar isso tudo quando eu estava grávida, ou quando -por algumas vezes- eu sonhei em ser mãe, mas nada, NADA chegou um dia aos pés do meu hoje. Ah, e eu sonhava acordada… sonhava que educaria melhor, que cuidaria melhor, que faria tudo -sempre- melhor… Eu sonhava que comigo seria diferente, sonhava que o mar seria de rosas vermelhas com lírios brancos (adoro!) e sonhava que teria uma família perfeita. E tenho! Perfeita do meu jeito, e sabe qual é o meu jeito de ser perfeita? Sendo feliz! Uma família só pode valer a pena se ela for constituída de amor, de paz, de entrega, de respeito e de compreensão. Brigar? Pode, mas com respeito!

Quando me disseram que a maternidade valeria a pena, não me disseram que eu saberia dia a dia o que é sentir o coração despedaçado… Sim, ele se despedaça em um choro, em uma decepção, em uma falta, em um erro… E isso acontece na casa de todo mundo, acontece aqui, e acontece aí também! E a construção de uma mãe não é feita só no amor, ela é feita nos pedaços de dor também, então eu percebi que além de ser perfeita, nós também podemos construir uma família muito mais preciosa (essa é sim a melhor palavra pra descrever, porque preço nenhum paga o valor que nossa família tem).

Depois de tudo e depois de todos, eu passei a aceitar as formas que cada pessoa usa de construir a sua própria família. Tem gente que gosta de sofrer, e daí? Tem gente que gosta de viajar, tem gente que gosta de ficar perto, e tem gente que gosta de ficar longe… Características essas que podem encher um coração de amor, que podem construir em uma criança um caráter que não irá se corromper em qualquer tentação. E acredite, se você criar o seu filho batendo na mãe dele, saiba que quando ele crescer, quem vai bater na mulher, é ele. E será que isso será motivo de orgulho?

blog vittamina textos maternidade amor de mae amor de irmas vitta martina suh riediger

Anúncios

Um pensamento sobre “Um dia me disseram que ser mãe valia a pena…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s