Selinho entre pais e filhos: pode?

Esse é o assunto que possui dois lados bem fortes: as mamães que dão selinho nos seus filhos e defendem o momento com unhas e dentes, e as mamães que não dão e também defendem sua conduta com muita propriedade. Quando ainda bebês, um beijinho de boa noite nos lábios é visto com o máximo de carinho e chega a ser uma cena linda, emocionante e extremamente carinhosa. Mas conforme o bebê cresce e se torna criança, essa cena pode perder um pouco a delicadeza. Explico o porquê. Todas as nossas atitudes são interpretadas pelos nossos filhos como exemplo, se formos agressivos, eles serão agressivos, se dermos selinho neles como uma forma de carinho, eles irão achar completamente normal dar selinho em quem gostam, como forma de demonstrar seu afeto.

Isso confunde muito a criança na sua primeira infância, por ela ainda não ter capacidade suficiente para distinguir a troca de carinhos entre pessoas, por ainda não ser madura para isso. Mas porque pode dar selinho na mamãe e não no titio? Porque pode dar selinho no papai e não no amiguinho da escola? Simplesmente explicar porque a mamãe é a mamãe não será suficiente para que eles entendam. E muitas vezes, sem dúvida, não seguirão nosso conselho e irão arriscar o selinho até no porteiro. Claro que com os anos isso vai passar, com determinada idade eles irão entender em quem realmente pode, por isso não desista de ensinar!

Outro fator importante é a questão social. Lugares público e fotos em redes sociais são exemplos de grande exposição em que sim, infelizmente, você e sua família serão julgados sem dó nem piedade.  Já vi mãe sendo chamada de pedófila e já vi pai sendo chamado de namorado da filha. Inclusive já teve caso de pai sendo preso por ter dado selinho na filha de 8 anos dentro da piscina em um hotel, e algumas testemunhas acabaram denunciando como abuso (pasmem, a mãe estava junto!). Na modernidade de hoje, e na injustiça desse país, eu acredito que o mais coerente sempre, é não invadir a privacidade do outro, e não deixar que o outro invada a sua. Pode ser que um olhar de reprovação em público não te ofenda, mas será que não irá ofender seu filho? Por isso, será que vale a pena expô-lo sendo que ele ainda não tem capacidade de entender e se defender?

E por último ainda existe o fator saúde. O beijo na boca pode transmitir diversas doenças através de vírus e bactérias. Alguns deles são: herpes, coqueluche, meningite, e por aí vai…  Vale lembrar que o adulto tem imunidade superior à uma criança ou um bebê que nem sequer tomou todas as vacinas, então você pode estar com alguma doença contagiosa incubada, que pode ser passada adiante sem que você saiba. Trocas de carinho e demonstrações de amor vão muito além de um selinho entre pais e filhos, o vínculo que existe nessa relação é inabalável, por isso vale sempre repensar suas atitudes, e o quanto isso pode afetar seu filho no decorrer da vida! Acima de tudo, e sempre, respeite para ser respeitado! Por último, segue abaixo a opinião mais coerente que encontrei durante a minha pesquisa, é da psicopedagoga Giselle Castro Fernandes:

“Na família existe o papel do pai e da mãe – que, juntos, formam um casal que dorme junto, que beija na boca! O papel dos filhos é outro. São crianças, e criança não beija na boca, não dorme na cama dos pais, etc. Trata-se de demarcar esses limites de maneira bem clara. De contrário, fica difícil definir o papel do adulto e da criança. Para ela, criança, dar o beijo nos lábios é o mesmo que namorar.”, acrescentando que “Filhinho(a) não é namorado e, portanto, não se beija igual. Beija no rosto, abraça, acaricia, mas nada que se confunda com o carinho ou com o amor do adulto, do casal. Há uma preocupação muito grande (e justa) dos pais, de se atualizarem, de não se distanciarem dos seus filhos, mas isso pode e deve ser feito, sem que se abra mão do seu papel, o papel de pai e de mãe, aqueles que representam o porto seguro aos filhos, aqueles que são “adultos”, que orientam, seguram a barra e que deixam muito bem definida a posição de criança e de adulto na família. Pode-se ter a certeza de que os filhos, no futuro, agradecerão muito aos seus pais que não abriram mão do papel com a função paterna – no sentido literal de força, de limite e da função materna – de cuidado, proteção. Amor entre adultos é diferente do amor pelas crianças, pelos filhos. Portanto, o beijo é também diferente e nem por isso menos carinhoso!”.

selinho entre pais e filhosMas apesar de tudo, eu acho que naquele momento único de festa, de diversão, de brincadeira, de retribuição ou de amor, um carinho diferente e especial, não afetará a personalidade de ninguém!

Anúncios

11 pensamentos sobre “Selinho entre pais e filhos: pode?

  1. Adorei, e super concordo contigo, há inúmeras formas de demonstrar o amor que sinto pelos meus gêmeos, e não é porque não dou selinho que se sentem menos amados…, e também, pra mim tem muitos outros fatores que já relatei no Mamis! Bjs!

  2. Não acho que isso afeta a criança em dar selinho em todo mundo. Eu particularmente dou selinho na minha mãe desde de criança e até hoje com 19 anos, e nunca sai por ai dando selinho em todo mundo que visse… Acho isso uma forma de carinho, de amor… Criança não e boba, são espertas até demais, se explicar com paciência não vejo problema algum

  3. Vejo muitas Mães Defendendo o Selinho nos Filhos, mais sem ter qualquer tipo de Informação sobre isso .. (A falta de Informação é o pior dos Males), principalmente quando lidamos com Crianças, Como foi dito acima o Demonstração de Amor é muito além disso…

  4. Sabe o que me deixa intrigada? As crianças não vão entender do selinho com seus pais e irão saindo dando selinhos em todo mundo. Mas elas podem perfeita entender cenas de sexo, beijos gay , cenas de violência e etc. Acho que damos muita importância para pouca coisa… cada um cria seu filho como achar melhor.. Agora vir falar que uma criança não entende isso, acho demais, como a Gabi disse… criança não é boba, são espertas até demais. Se elas vão entender que dar selinho na mãe pode dar no tio, vão bater nos amiguinhos pq mostrou na tv que bater não tem problema. Isso é de criação, se você tem dialogo com seu filho, ele com certeza vai entender bem as coisas

  5. Nunca gostei/deixei dar selinhos nos meus filhos…não pelo fato de ser um beijo,mas sim pela questão saúde…Acho muito anti higiênico mesmo…Mas cada um vê de um jeito e devemos respeitar a opinião do próximo!!

  6. Eu tenho hoje uma filha de 2 anos, eu e meu esposo dávamos beijo de selinho nela, e foi exatamente isso que aconteceu, ela começou a querer beijar todos na boca, infelizmente neste lado eles aprendem mesmo que dar beijo na boca é o correto, então a gente deu uma parada e agora vai ensinando a dar no rosto, ela ta aprendendo… mas eles pegam mesmo o nosso exemplo, somos referencia total para eles emmm tudoooo… Até neste lado tão delicado, rsrsrs!

  7. Acho que é bem pessoal, vai realmente dos valores e referenciais que os pais tiveram. Não venho de uma família em que fomos beijados na boca pelos pais e não reproduzi isso com o meu filho, simples assim. Muitos pais dão refrigerantes e um bocado de besteiras “alimentícias” para os pequenos, tenho certeza que não será um selinho que vai matar as crianças, então não consigo ver com nojinho. Sinceramente, o que vale é o amor e o gesto de carinho.

  8. meu filho tem 13 anos eu e o pai dele sempre damos selinho nele nao vejo nada demais, qdo isso começar a incomodar ele logico que vamos parar, mas por enqto isso ainda nao aconteceu, qdo eu e meu marido fazemos isso eu e nosso filho sabemos que nao ha maldad de nossa parte é so uma forma de demonstrar que o amamos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s